Tudo de mim

11:19

É fácil de fala um pouco de mim, falar mais de mim, mas quando chega a parte de falar TUDO de mim, é a parte que mais gosto... Pelo simples fato que falar tudo é falar a melhor e mais louca coisa que poderia me acontecer, é falar que minha vida teve mais sentido, mais força e menos vagão desde o dia em que uma certa vida se misturou a minha vida, e nossas vidas, juntos, passou a ter mais cor, mais emoção, mais amor. E nós dois juntos, somos uma soma tão especial, tão gostosa e tão única que acabo me apaixonando cada dia mais.
Sou teimosa, chata, birrenta... Eu sou assim, a mistura de sonhos loucos com duvidas reais. Meu amor é a pessoa que vive diariamente com meu mel, meus carinhos e escuta muito dos meus EU TE AMO, mas também convive com a outra parte de mim, mas ele lida tão bem que chega a ser engraçado.
Tudo de mim é saber que minha vida tem rumo, tem um chão, tem uma certeza pois tenho um apoio que não larga minha mão nem me deixa desanimar. Sou tão eu e tão certa e cheia de mim que não mudaria mais nada nessa mistura louca que sou eu.
E boa parte disso tudo, devo a quem está do meu lado (dessa vez falando de todos) saber de mim é saber de poesia, música, sorrisos, lágrimas e muitas outras confusões, mas eu me recomendo...


Mais de mim

10:37

Eu sou assim, a mistura de sonhos loucos com duvidas reais que desanimam a alma mas fortalecem a vontade. Sou um pouco de nada e muito de tudo. Trago na bagagem história que até Deus duvida, histórias surreais que parecem mais conto de um escritor louco. Entretanto, uma coisa não existe nessa minha mala bagunçada que se chama vida, e isso se chama arrependimento. 
Não me arrependo do que fiz, tampouco do que não fiz. Acredito na ideia do 'se não foi não era pra ser' cabeça cheia? Sim, a mil por hora, mas o que seria de mim sem minhas ideias loucas, sonhos impossíveis e metas a alcançar? Seria uma igual a todo mundo, e eu gosto de raridade.


Muito de mim

11:59

Há quem ache que sou um completo desastre, há quem ache que sou sonhadora demais, há quem ache que sou grossa, há quem ache que sou dura, há quem ache que sou uma vencedora, há quem ache que sou talentosa em alguma coisa... Mas pouquíssimas pessoas conseguem ver e compreender, quem eu realmente sou.
Sou uma casca grossa que protege um sorriso fácil, um olhar assustado, um coração que bate com o compasso, da emoção do momento.
Quem consegue atravessar essa casca consegue chegar num mel tão doce que é até difícil de falar, sou realmente um monte de carinho, abraço e beijinho que um dia sem faz uma falta danada.

Se você é uma das pessoas que convive com meu mel, parabéns, você conseguiu me cativar. Se eu disse que te amo, uau... Você fez muito por onde. Mas se você é um dos que convive com a rigidez não tenha medo, só tenho medo que entrem na minha vida e eu sofra.
Noutro dia, noutra conversa, eu te conto os motivos pelos quais me deixaram assim.

Recriar história

17:21

Meio da madrugada eu levanto meio tonta, o relógio marcava duas e oito da manhã, eu sento no sofá e começo a pensar:
No tempo que passou, nas coisas que vivi, nas historias que contei, nas risadas que dei, nos amigos que fiz e nos amores que amei. Me bateu uma sensação que era um misto de saudade e alegria. Saudades do que passei e alegria pelo que passei.
Não sou mais jovem nem sonhadora como nos anos de verões em companhia dos amigos, dos invernos com amores, primaveras venerando as flores e outonos me preparando para o frio. Guardo na mente imagens de viagens inesquecíveis e oportunidades que não perdi.
As historias que foram interrompidas, os não ouvidos e dados e o que deveria ter sido feito mas não foi, tudo o que junto geram arrependimento, eu coloquei numa caixa da memória que eu esvazio todos os dias com a ideia de que se não foi não eram pra ser e minha mente só tem espaço para alegrias contidas no inicio dessa história. Sendo eu, assim, uma pessoa de sorrisos.

Mas agora que o tempo passou e eu vivi minha vida de alegrias, está na hora de voltar e recomeçar tudo outra vez. Dando oportunidade a novas histórias, novos sorrisos, novos amores e novos amigos. E assim, o relógio marcou duas e quinze pela última vez, nessa vez.


Livro Da Semana

10:53

P.S Eu Te Amo


Autor: Cecelia Ahern
Idioma original: Língua Inglesa 
Editora: Novo Conceito
Assunto: Romance 
Sinopse: Gerry e Holly eram namorados de infância e ficariam juntos para sempre, até que o inimaginável acontece e Gerry morre, deixando-a devastada. Conforme seu aniversário de 30 anos se aproxima, Holly descobre um pacote de cartas nas quais Gerry, gentilmente, a guia em sua nova vida sem ele. Com ajuda de seus amigos e de sua família barulhenta e carinhosa, Holly consegue rir, chorar, cantar, dançar e ser mais corajosa do que nunca.




Pausa Para Um Café: Maria Izabel

10:53




A entrevistada dessa vez no Pausa Para Um Café é a Maria Izabel, ela além de escritora é professora universitária e pesquisadora de pós-doutorado e ainda mãe coruja, como ela mesma fala. Escreveu o livro Rico E Joana e está conquistando cada vez mais os leitores. Ela conseguiu, em meio a tanta correira, parar um pouco e falar um pouco sobre a carreira e a vida, confiram!





-x-


Alice - Quando começou a escrever o livro?
      Maria Izabel - Bem, esse livro possui uma história longa de muitas “idas e vindas” (risos). Eu sou paraibana, onde realizei minha graduação profissional. No ano de 2000, fui morar em Fortaleza-Ce (para seguir com uma especialização), uma cidade onde não tinha parente algum, apenas alguns colegas conterrâneos que estavam lá pelo mesmo propósito que o meu. Neste mesmo ano, também conheci o meu atual esposo.
Após concluir a especialização, ingressei em um mestrado e, mesmo acostumada (desde sempre) a uma rotina compenetrada em meus estudos, comecei a sentir minha vida um pouco “pesada”. Ainda que eu tivesse o apoio incondicional de meu namorado (à época), eu estava longe de meus familiares queridos, com pouquíssimos amigos e vivenciando apenas aquela rotina de trabalho e estudo árduo. Então, eu senti que precisava de uma boa “válvula de escape” e sabia que eu poderia encontrá-la escrevendo, o que eu não fazia desde a adolescência. Sempre gostei de ler, mas escrever me proporciona um prazer ainda mais absoluto. Assim, eu decidi que iria escrever um livro e comecei a fazê-lo em meados de 2001. Decidi pela premissa da obra justamente como uma forma de me divertir ainda mais enquanto estivesse escrevendo, além de trazer a “leveza” da trama para dentro de meu cotidiano.
Porém, como era de se esperar, eu não dispunha de tempo para me dedicar a esse projeto tão prazeroso para mim. Mesmo assim,  embora chegasse a passar longos meses sem escrever nada, a história de meu livro estava sempre presente em meu pensamento, sobretudo, como forma de relaxar e me divertir criando o roteiro e os personagens inusitados, ainda que pouco parasse para escrevê-la. E assim, fui conciliando a escrita do livro com os estudos e o trabalho. Quando eu sentava para escrever, a escrita fluía com muita naturalidade e rapidez, porém, como eram raros esses momentos, só consegui concluir a última revisão da obra quando já estava perto de terminar o doutorado, no final de 2008 - nossa como demorou! (risos).

Alice - A batalha foi longa até encontrar a editora?
Maria Izabel - Posso dizer que não chegou nem perto da luta que travei com minhas atividades paralelas para concluir a obra (risos). Bem, no quesito tempo, foi demorado até publicar o livro após tê-lo finalizado, mas no sentido dos esforços, felizmente, não foi uma batalha árdua, apesar das condições adversas do mercado literário nacional, sobretudo aos escritores iniciantes. A demora ocorreu porque, mais uma vez, eu não dispunha de tempo (ou de concentração) para “batalhar” pela publicação, mas posso dizer que tive sorte quando comecei a tentá-la em um segundo momento.
Em outras palavras, quando finalizei as revisões da obra (e fiz muitas, pois, como a maioria dos escritores, sempre achava que tinha algo a melhorar e até hoje ainda a reviso), eu enviei os originais impressos para duas editoras, uma delas  não me respondeu e a outra rejeitou a proposta. Depois disso, deixei a obra guardada e assim ela permaneceu durante um bom tempo. Quando retornei a batalhar pela publicação, no ano de 2011, felizmente, recebi um convite da Editora ISIS e no final deste mesmo ano fechamos o contrato para a publicação.

Alice - Como foi receber a proposta da editora?
Maria Izabel - Nossa! Foi uma alegria sem tamanho (risos). Foi maravilhoso! Todos os contatos que fazia com o meu estimado Editor, fossem eles virtuais ou por telefone, eram realizados com meu coração em um descompasso tremendo (risos). E quando o contrato, finalmente, chegou à minha casa para que eu o assinasse... ufa!... Mais emoção ainda!!!

Alice - Qual sensação quando o segurou nas mãos pela primeira vez?
Maria Izabel - Foi magnífica! Eu o olhava como a um filho (risos), o achando lindo, enquanto rememorava toda a longa jornada vivida até ali. Era a concretização de um sonho, o fruto de muito, mas muito trabalho! E as emoções não pararam por aí (risos), pois o meu primeiro lançamento foi na Bienal de São Paulo, o que era um dos meus sonhos e aconteceu de uma forma muito natural, coincidindo exatamente com o ano em que finalizamos o processo editorial (2012). Foi sensacional! O segundo lançamento também foi emocionante, na cidade onde vivo até hoje, Fortaleza-Ce, e o fiz ao lado de meu filho, esposo, familiares e amigos queridos!  

Alice - Como é ver os depoimentos dos leitores de Rico e Joana?
Maria Izabel - É maravilhoso e, sobretudo, gratificante! Além de me proporcionar prazer enquanto os confecciono, os textos que escrevo possuem um destino final: os leitores (e penso que seja assim com a maioria dos escritores). Sendo assim, ver os depoimentos de satisfação dos leitores de minha obra, para mim, funciona como um grande bálsamo na alma!

Alice - Quando será lançado o segundo livro da série?
Maria Izabel - Mais uma vez, estou sendo vítima de falta de tempo, devido à minha vida paralela à de escritora (risos). O segundo livro já está sendo escrito, embora com uma velocidade menor do que eu, o editor e meus queridos leitores, fãs da série, gostariam (risos). Em contrapartida ao pouco tempo que disponho para escrever (mas, felizmente, maior do que o que tinha quando escrevi o primeiro volume), o processo de escrita agora está mais facilitado, devido ao amadurecimento natural pelo qual todos os escritores passam ao longo do tempo. 
Sendo assim, não se preocupem leitores queridos, pois não levarei anos para lançar o segundo livro da dupla (risos). Estimo que o lançamento deverá acontecer entre o final de 2014 e início de 2015.  Posso adiantar que a segunda trama da série virá bem mais elaborada, e ainda mais recheada de ação, emoção, diversão e romance (risos).   

Alice - Como é conciliar o tempo de escritora, mãe e professora?
Maria Izabel - E ainda sou pesquisadora de pós-doutorado e escrevo muitos artigos científicos (risos). Mas confesso que não é fácil mesmo, sobretudo, porque dou prioridade (a maior parte de meu dia) ao meu papel de mãe, exatamente o que mais exige de mim (risos). Mesmo assim, estou em um momento favorável em minha vida, que me permite conciliar bem as minhas atividades (ainda que varando algumas madrugadas) (risos), claro que continuo contando com o apoio incondicional de meu esposo.

Alice - O que é escrever pra você?
Maria Izabel - Sou  uma pessoa de “poucos  lazeres” e posso dizer que escrever para mim é a atividade que mais me proporciona prazer em minha vida (além de estar ao lado de meu filho e de familiares). Na maioria das vezes, eu realmente prefiro escrever (e ler) a realizar muitas outras atividades de lazer costumeiras para tantas pessoas.

Alice - Qual a maior alegria que você teve, como escritora?
Maria Izabel - Sem dúvida, foi ver meu primeiro livro publicado!

Alice - Quem é a Maria Izabel longe desse universo literário?
Maria Izabel - Uma mulher muito fácil de conviver e de me relacionar com pessoas, principalmente por que sou simpática (risos), muito simples, com um senso aguçado de justiça e procuro ser compreensiva com todos com quem interajo. Adoro animais e respeito todas as formas de vida. Gosto de cinema, de aprender com meus alunos e de realizar minhas pesquisas científicas. Amo viajar, sair para comer uma boa massa (risos) e estar entre família.

Sou uma irmã, tia e esposa atenciosa e uma mãe suuuper coruja e muuito presente na vida de meu filho, o nosso maior presente de Deus. Falando Nele, agradeço a Deus, a todo instante, principalmente, por tudo que ele me dá que o dinheiro não pode comprar! Sou perfeccionista ao extremo e, mesmo me relacionando bem com pessoas, sou um tanto reservada, mas confesso que essas características não me agradam muito (risos).  


Pedaço de mim

10:28

Se devo ver algo, que seja teu sorriso, teus olhos brilhantes ou teu semblante adormecido do meu lado na cama.
Se devo sentir algo, que seja teu beijo, teu cheiro, teu abraço apertado de saudade e tua mordida na minha orelha.
Se devo tocar em algo, que seja teu rosto quando te mimo com ternura, tua pele enquanto te abraço.
Se devo segurar em algo, sei que é sua mão quando sinto medo ou quando devo ser mais forte.

O que me envolve, me vence, me ganha é essa mistura que resulta em nós dois.


Risos

19:01

É tão simples sorrir, mas as pessoas não entendem isso...

Por isso admiro as crianças, sorriem de tudo e não tem medo de demonstrarem que algo lhe agradou. Já adultos, tolos, sem escondem em camuflagens que correspondem à seriedade impedindo sorrisos bobos saírem de seus lábios para não parecerem tolos, mas não percebem que é escondendo seus sentimentos que estão sendo realmente tolos.

Dezenove

10:26

Um fato triste sobre hoje: VOU SOPRAR VELINHAS DE NOSSOS 5 MESES SOZINHA!

Detesto planejar coisas, até pelo fato de que oitenta e nove por cento das vezes dá errado.
Acabei de ouvir sua voz falando tudo o que não precisava ouvir hoje, o que me deixou triste e com muito mais saudades que antes, mas uma coisa é fato, não me deixou com raiva nem com vontade de passar horas reclamando, pelo simples fato que você me deu um belo motivo para não estar comigo, um motivo que me deixa orgulhosa de ter você em minha vida.
Quando eu falo que são poucos os adjetivos para te definir não estou mentindo, tanto é que inventei mais um, que pode ser usado perfeitamente como uma profissão.
Há dias eu vinha tentando escrever algo mas não conseguia, travava, e pra ser sincera nós dois sabemos o real motivo... Não te faço um texto belo, cheio das minha melações, mas com certeza todas as minha palavras pedidas nesse texto de cinco meses refletem o quanto eu gosto de você, o quando sou feliz e o quanto não consigo desistir de nós, mesmo tendo motivos. Mas sabe, não me importo mais, nada pode me machucar mais que perder você, e isso não vai acontecer, não se depender de mim...
Feliz cinco meses, de muitos que ainda virão!


Livro Da Semana

17:25

The Outsiders
Autor: Susan E. Hinton
Idioma original: Língua Inglesa 
Editora: Benvirá 
Assunto: Literatura Estrangeira / Romance 
Sinopse: Ponyboy quer conquistar a garota dos seus sonhos e provar que pode entrar para a gangue de seu irmão mais velho: os greasers, que usam gel no cabelo, jaqueta de couro e canivete e estão sempre envolvidos em brigas nos terrenos baldios da cidade, sobretudo contra os socs — filhos de famílias ricas. Bandidos, delinquentes, marginais (outsiders) ou apenas jovens à procura de uma saída para uma vida sem futuro? Retrato forte e comovente do universo de sonho, revolta e violência da juventude americana dos anos 1960 e de todos os tempos, Vidas sem rumo é um best-seller mundial e um clássico transformado em filme pelo diretor americano Francis Ford Coppola.



Provocando amor

08:09

Após um tempo parada, olhando para o horizonte, para o nada, senti você chegando perto de mim. Se encostou e ficou me olhando fixamente por uns minutos... Tocou em mim mas puxei o braço, você riu e eu olhei invocada. Tocou novamente e dessa vez fiquei quieta...

Quer saber o motivo pelo qual nunca te deixei faz tempo?
- Tanto faz.
- Sabe, a cada momento de suas loucuras eu me prendia cada segundo mais a você. No começo me apaixonei pela menina frágil, assustada, mas com o passar dos dias acabei me apaixonando completamente por essa louca, sem medo, chata, birrenta, mas que de algum modo me cativa. Soltar sua mão foi uma hipótese altamente analisada, pois como você foi diferente de tudo que já vivi, tive medo das consequências, me afastar parecia a saída mais obvia para que ninguém saísse ferido gravemente, mas quem disse que conseguiria? Tenha certeza, tentei realmente me afastar por medo de toda e qualquer consequência de meus atos para e com você. Mas adivinha, não consegui e agora estou aqui com você. E todas as noites você pode me abraçar forte, pois sentirá minha presença do teu lado. Para te proteger, cuidar de você, amar você. 


Casa comigo?

20:14

Não olho em volta do mundo sem imaginar sua presença no meu, é como alicerce, base, força.
Alegria de meus dias que não abro mão de viver, bem querer de disparar forte de coração.
Menina, criança, pequena, louca, talvez um enigma...
Sorriso de mulher de fases que como a lua muda a cada segundo mais, hora uma, hora outra, todas as horas apaixonada por você.
Olha a distância do solo pro céu, olha na direção do sem razão ao meu lado, me faz querer voar cada dia mais, segura minha mão e não abre mão de ver meu arriscar.
Esteja acordado quando eu estiver despertando do meu sonho louco e que você vive nele comigo.
Esteja comigo nas minhas escolhas, decisões e acima de tudo... Esteja comigo.
Case comigo? Sim, case comigo!
A gente casa sobre a luz da lua no inicio de uma bela noite de luar!


Te espero

13:24

E eu ouvi, eu ouvi o barulho dos trilhos.
Senti um frio na barriga, típico da ansiedade. O barulho se aproximava, ah como se aproximava.
Vi todos se chegarem mais próximo de mim, não era apenas minha ansiedade que era notável naquele lugar, e sim muito rostos demonstravam saudades e muita alegria pelo fim da distância.
Eu sorria um sorriso tímido e nada contagiante, eu sentia... Sentia medo, mas esperança.
Enfim chegou, presenciei abraços, beijos, lágrimas, demostrações de afeto, carinho e muita saudade.
Vi todos radiantes, e cada nova pessoa que descia trazendo na mala alegria eu via pra cada rosto, quatro ou cinco novos rostos se alegrarem.

Todos chegaram e se foram, mas você não veio dessa vez...
Mas eu te esperarei!


Livro Da Semana

22:02

As Pedras Não Morrem

Autor: Mirian Mambrini.
Idioma: Português.
Editora: Editora Bom Texto.
Assunto: Literatura Brasileira.
Sinopse: Após juntar um bom dinheiro, Gabriel, busca um brechó de computadores para adquirir a sua máquina.

A partir do seu antiquíssimo XT ele descobre o diário "Máscara" de Irene, uma jovem sensível e introspectiva, que se vê na batalha de descobrir coisas sobre a sua avó da qual ela adquiriu o nome, a beleza...a alma. Gabriel, então, sente que ele e Irene tem traços incomuns, e, assim, resolve conhecê-la pessoalmente. A mulher que fascinou-lhe através da leitura do seu diário misterioso. Uma Irene frágil, escondida nos mistérios que circunda a máscara mortuária da sua avó paterna, encontrada no fundo do baú do escritório do seu falecido pai. 
Conduzido pelo diário, o fio da trama é cheio de mistérios.
Envolvente o livro prende a atenção de tal forma que desejamos lê-lo impreterívelmente num dia.





Pausa Para Um Café: Jéssica Fernanda

08:20





A entrevistada de hoje, no Pausa Para Um Café é a Jéssica Fernanda. Ela é dona do blog Liberty Walk. Sou muito suspeita a falar dela, pois sou grande fã em vários sentidos.
A Maranhense é uma ruiva, tatuada, blogueira, vlogueira, fotografa, mãe, esposa, dona de casa e estudante, e acreditem, manda muito bem em tudo o que faz. O blog é muito bem elaborado, criativo e lindo, o vlog é muito divertido, nas fotografias ela arrebenta, cada imagem mais brilhante que a outra. Então acompanhe o papo rapidinho que a gente teve pra conhecer um pouco a fã do John Green com todos seus OKAYS! Depois é só correr no blog, no canal e nas páginas do facebook  ;)

-x-


Alice - Há quanto tempo tem o blog e o canal?

Jéssica - Completamos 1 ano em Setembro


Alice - Como é dividir o tempo entre o blog, o canal, o trabalho e o filho?

Jéssica - É complicado quando o Lucas está doente. Quando ele está bem, é simples. Eu faço curso pela manhã, fico em casa de tarde e a noite trabalho. Quem toma conta do Lucas é a avó dele. Ele é bem independente e não dá trabalho. Passo o dia brincando. Não é uma criança que vive grudada. Às vezes sinto falta de quando ele dependia só de mim.


Alice - Qual participação da Lara em tudo isso?

Jéssica - Quando resolvi criar o Blog, foi ideia minha, da Lara e do meu irmão. A Lara depois que veio passar férias aqui e voltou para o RJ, resolveu escrever e as pessoas amavam os textos dela. Foi uma parceria boa. Os vídeos são diversões. Adoramos. Ela é uma ótima irmã e companheira.

Alice- Qual post e qual vídeo mais gostou de fazer?

Jéssica - O post que fala sobre o meu parto, foi muito bom. O vídeo que mais gostei foi a TAG INFÂNCIA. Foi tão bom relembrar das coisas do passado. <3


Alice - Qual a maior gratificação no âmbito profissional?

Jéssica - Trabalhar com o que amo, é tão maravilhoso.


Alice - Quem é Jéssica Fernanda com uma câmera na mão?

Jéssica - É a louca dos clicks . Antes de fotografar eu olho pra pessoa ou objeto e imediatamente fotografo com a mente. E vou em busca daquilo que imaginei.

Alice - Defina em uma só palavra:

Blog- Satisfação
Canal- Diversão
Fotografia- Amor
Lucas- Alicerce


Alice – Quero te agradecer muito por participar comigo desse café. Quero aproveitar e falar pela milionésima vez que sou fã, que admiro e acompanho seus projetos sempre. E entrando no clima, falar que você é uma pessoa maravilhosa que simplesmente ama o que faz por isso faz tão bem, parabéns!




Blog

Força

12:42

Olhando o nascer do sol hoje, pude sentir um calor que me dominou. Um calor que aqueceu, que me fortificou, me senti mais forte, talvez, mas com vontade de viver.

Não sei até quando vou continuar firme, pois sempre uma tempestade vem me derrubar.
Sabe aqueles dias que até música triste no rádio te faz chorar? Estou bem assim. 
Com medo, me sentindo só, com dúvidas, fraca, angustiada... só sei que tenho que ser forte e nunca desistir.

Hoje ou amanhã

10:53

Tão fácil perguntar se estou bem sem realmente querer ouvir a resposta.
As vezes é mais interessante camuflar o que se sente com um sorriso, ao invés de suportar coisas que não se quer ouvir.
As vezes tudo o que mais preciso é de um abraço apertado, um carinho, um beijo sereno e um 'eu estou aqui' sincero.
Mas hoje, eu só queria estar realmente bem, ou pelo menos bem longe. Ouvir barulho do vento, sentir um brisa fria, ver o por do sol e saber que amanhã é um novo dia, e nesse novo dia, novas histórias e novas forças pra ajudar a levantar, pois pra ser sincera, hoje está complicado.

Um dia, talvez...

20:12

Sem esse medo todo talvez as coisas dessem certo, talvez qualquer viajem fosse mais tranquila, mais calma, mais prazerosa... Talvez, eu conseguisse ver algo bom pelo vidro da janela do carro, talvez eu conseguisse admirar coisas pequenas e que geralmente me desligariam do mundo real.
Mas esse medo é prova de coisas que passei, vivi e nunca esquecerei.
Existem várias formas de algo marcar sua história e com certeza essa que marcou a minha é bem dolorosa, é bem dura de aceitar.
Medo de passar pelo que já passei, de ver o que vi e perder alguém do jeito que já perdi.
Talvez, quem sabe um dia, eu consigo aproveitar coisas simples que existem na estrada, talvez eu consiga respirar normal e aliviada, sem lembranças chatas para me acompanhar.

Meu motivo

21:05

Dia de ir...

Mais um vez tenho que ir para onde não gosto, para onde não quero, fazer coisas que me machucam, me incomodam e de certa forma, acabam comigo.
Mas eu tenho que ir, pelo simples fato que eu não sou apenas só eu, eu tenho alguém que amo e alguém que merece me ver bem, me ver feliz.
Há bastante tempo eu procurava motivos, e agora eu encontrei, e esse motivo tem nome e um sorriso lindo, um olho que brilha quando fica juntinho de mim, uma voz tão gostosa de ouvir que provoca sensações.
Meu motivo é amigo, companheiro, conselheiro, pai, namorado... Meu motivo é um real motivo. Daqueles que faz você levantar, sorrir e seguir.
E por esse motivo passo em cima do meu medo, passo por cima do que não gosto, faço o que incomoda, só pra estar bem e ser feliz por todos os instantes que estivermos juntos!
Eu vou só pra provar que volto com mais saudade que hoje, que amo mais que ontem e com a certeza de que viver vale a pena quando a vida da gente tem uma outra vida esperando pra juntar as duas vidas e viver só uma!


Não vai

16:16

Deita comigo, apoia meu corpo em teu peito, me abraça forte, faz silencio, me deixa ouvindo apenas o doce som do bater do teu coração. Faz carinho em meus cabelo, me dá leves beijos, me abraça ainda mais. Me presenteia com aquele suspiro que você sempre dá quando pensa em nosso futuro ou quando sonha com um futuro talvez improvável. Faz de mim seu bem querer, sua preciosidade. Esquece o mundo lá fora por algumas horas, os problemas, as chatices, deixa que apenas eu seja seu mundo, faz parte totalmente do meu, prometo não te decepcionar. Não me deixa acordar com frio no meio da noite, aquece sempre meu corpo, meu ser, espante meus medos, meus sustos. Segura minha mão, dependo e pertenço a você!

Livro Da Semana

16:54

 Rico e Joana em: O Pirulito Assassino.

Autor: Maria Izabel Gomes Silva.
Idioma: Português.
Editora: Editora ISIS.
Assunto: Literatura Brasileira.
Sinopse: Primeiro volume da série "Rico e Joana" - Rico e Joana em: O Pirulito Assassino.
Um atípico assassino vestido de palhaço faz suas vítimas deferindo golpes com um enorme e duro pirulito de rapadura. O renomado, habilidoso e encantador detetive Rico Dantas e a destemida Joana Coquinho irão desvendar esse mistério.

Com um enredo dinâmico, cheiro de ação, aventura, suspense e diálogos recheados de humor, o romance policial (primeiro volume da série) prende a atenção do leitor do início ao fim, de forma a agradar a todas as idades. Em um estilo próprio do narrador, as cenas inusitadas vão pouco a pouco desnudando a trama central ao longo de todo o romance. Quando então, nos capítulos finais, é revelada a verdadeira identidade do palhaço assassino e os motivos que o levaram a matar suas vítimas à "pirulitadas", em um desfecho surpreendente que impressionará até o mais atento dos leitores.


O amor? Ele chegou!

15:37

Falar de amor e de destino é fácil, difícil mesmo é conseguir encaixar certos amores inesperados nas lacunas deixadas pelo acaso.
Falar de acaso e de destino numa única frase sem um se opor ao outro, é um tanto quanto desproporcional ou anormal, mas o que tem de normal em amores inesperados?
Quando se trata de falar sobre estar apaixonado, os nós se duplicam e tudo torna-se uma  mistura bem bagunçada de sensações... Paz, euforia, duvidas, medos, calmaria, plenitude e uma infindável lista.

Mas, o que tem fim em amores inesperados?

Tudo em seu tempo

18:02

Talvez o tempo não seja justo com algumas feridas.
Parece que ele não se preocupa se você ainda está sangrando ou não, se você está sendo curado ou não.
Ele, as vezes, parece impiedoso ou descuidado.
Porém, noutras tantas vezes, ele faz um trabalho tão impecável que nem cicatriz da ferida fica. Fica apenas um leve arranhão que não dói, não incomoda, só fica para marcar o que existiu.
Mas, para bem sincera ser, eu acho que o tempo sabe o que faz. Se ainda não curou tal ferida, é pelo fato de você não está preparado para esquecer ainda, e que arranje um jeito para conviver com ela.
Cabe a cada um saber o que fazer para os dias passarem menos dolorosos.